Dia do Trabalhador 2020

0
233

Para comemorar as conquistas do trabalhador brasileiro e toda a importância que ele tem dentro do cenário econômico do país, foi criado o Dia do Trabalhador, que tem como principal objetivo tornar mais evidente a contribuição dada pela classe trabalhadora ao país em todos os aspectos que se possa imaginar, especialmente em termos financeiros.

O Dia do Trabalhador, comemorado no Brasil e em diversos outros países do mundo, é um tributo aos trabalhadores, que todos os dias contribuem para o crescimento econômico do país com o seu trabalho. No Brasil esse dia é comemorado em 1º de Maio, sendo feriado nacional por força da Lei Federal nº 662/ 1949.



Para mais informações sobre essa data comemorativa, colocamos à sua disposição esse artigo, em que trazemos várias informações acerca do tema.

Quantos dias faltam para o dia do Trabalhador 2020?
hoje é .
O dia do Trabalhador é comemorado dia 1º de maio
Faltam -105 dias para o dia do Trabalhador, dia 1 de maio 2020
Historicidade do Dia do Trabalhador
Maio 2020
Do Se Te Qu Qu Se
26 27 28 29 30 01 02
03 04 05 06 07 08 09
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 01 02 03 04 05 06
01: Dia do Trabalho
10: Dia das mães

Historicidade do Dia do Trabalhador

O fundamento dessa homenagem remonta ao século XIX, na cidade de Chicago (EUA), quando os trabalhadores se mobilizaram em busca de melhores condições de trabalho. Era 1º de Maio de 1886 quando os mesmos iniciaram uma greve. Em consequência disso muitas pessoas morreram, se suicidaram e foram condenadas à prisão perpétua. E foi à custa desse sacrifício que enfim a maioria dos países industrializados fixou em 8 horas diárias a carga horária de trabalho.



Depois disso, muitas outras conquistas vieram e por isso os trabalhadores prestam nesse dia as homenagens a todos os que batalharam por esses objetivos.

Aprofundando esses conhecimentos

É fácil esquecer que a situação dos trabalhadores industriais nos Estados Unidos e na Europa durante o final do século XIX era muito diferente da que existe hoje. Os salários eram muito baixos; 13 a 17 horas de trabalho foram a norma; salvaguardas no local de trabalho eram praticamente inexistentes; e o descanso nos finais de semana, feriados e aposentadoria paga eram conceitos desconhecidos.

Em 1º de maio de 1886, os comícios e greves foram coordenados nos Estados Unidos, com até 500.000 trabalhadores participando nacionalmente. O maior grupo estava em Chicago (então a terceira cidade mais populosa dos EUA); seu objetivo coletivo era reduzir os turnos diários dos trabalhadores de 13 para 8 horas. Ao longo de 4 dias, as manifestações tornaram-se cada vez mais violentas e resultaram na morte de policiais e manifestantes. Em última análise, oito líderes trabalhistas foram presos e executados como resultado.

Cinco anos depois daquele evento seminal, em 1891, o Congresso Internacional dos Trabalhadores declarou o 1º de maio um dia oficial de luto e luta contínua pelos direitos dos trabalhadores. Nas décadas seguintes, muitos governos adotaram a data como feriado nacional em deferência ao valor que os trabalhadores – sejam eles trabalhadores de uma fábrica ou de um campo – proporcionam à saúde de uma nação.

Dia do Trabalhador no Brasil

A primeira comemoração do 1º de maio pelo movimento trabalhista brasileiro foi realizada em 1895, mas não se tornou feriado nacional até 1924 sob o presidente Artur Bernardes. No início, o dia era tipicamente marcado por greves, protestos e inquietação dos trabalhadores. No entanto, durante a ditadura prolongada do presidente Getúlio Vargas, o tom do Dia do Trabalhador mudou drasticamente.

No período final de seu governo não eleito, conhecido como Estado Novo, Vargas usou repetidas vezes o feriado para anunciar novas proteções para o trabalhador brasileiro: um verdadeiro dia de trabalho. Por exemplo, em 1940, Vargas estabeleceu o primeiro salário mínimo – o que significa que a compensação deve cobrir as necessidades essenciais de uma família, como moradia, alimentação, saúde, vestuário e educação. Desde então, o salário mínimo no Brasil foi tradicionalmente ajustado em 1º de maio.

Um ano depois, em 1941, Vargas criou a Justiça do Trabalho para resolver especificamente questões legais relativas aos direitos dos trabalhadores e à relação entre trabalho e gestão. Outras leis e iniciativas que começaram em 1º de maio incluem a redução do dia de trabalho para 8 horas, a formação do Ministério do Trabalho, a regulamentação do emprego de crianças e a garantia do direito a férias e aposentadoria.

Em 1943, Vargas criou a Consolidação das Leis do Trabalho que, como o nome indica, unificou as leis trabalhistas existentes. Por exemplo, não fez distinção de status entre os tipos de emprego (intelectual, técnico e manual); contava o tempo fora do trabalho devido a acidente ocupacional em função do tempo de serviço de um funcionário; e assegurou pagamento igual para as mulheres.

O Sentido do Dia do Trabalhador

O que os trabalhadores jamais podem esquecer é que houve muito sofrimento para que as relações de trabalho chegassem ao patamar em que estão hoje. Ainda não são as mais ideais, mas são melhores que no passado.

Portanto, o Dia do Trabalhador deve ser o momento propício para que empresas e empregados reflitam sobre as legislações trabalhistas, as normas que envolvem seu ofício, as regras de trabalho e, especialmente, o que esses e aqueles podem fazer para que todos contribuam para o crescimento econômico do país se respeitando mutuamente.

A CLT

A CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) é, para o Brasil, o grande marco da conquista de direitos trabalhistas e veio justamente no dia 1º de Maio, em 1943, pelas mãos do então presidente Getúlio Vargas. Com isso os trabalhadores passaram a ter uma lei que assegurava os seus direitos perante os patrões.

No dia 1º de Maio devemos parabenizar os trabalhadores que buscam honestamente o seu sustento enquanto colaboram com o desenvolvimento do país!





DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui