Dia da Revolução Acreana

O Dia da Revolução Acreana rememora um grande conflito fronteiriço entre a Bolívia e a Primeira República Brasileira sobre a Região do Acre, que era rico em depósitos de borracha e ouro, sendo portanto alvo de disputas entre os dois países. O conflito teve duas fases entre 1899 e 1903 e terminou com uma vitória acreana, favorável à República Brasileira, e o subsequente Tratado de Petrópolis, que cedeu o Acre ao Brasil à custa de algumas concessões. O resultado também afetou os territórios disputados com o Peru.

Portanto o Dia da Revolução Acreana não só marca o evento que proporcionou a independência do Acre em relação à Bolívia e sua instituição como Estado Brasileiro. A comemoração se dá sobretudo pelo fato de o país ter obtido uma grande vantagem econômica quando conseguiu manter o Acre como parte de sua Federação.

Quantos dias faltam para o dia da Revolução Acreana 2020?
hoje é .
Revolução Acreana – Independência do Acre em relação à Bolívia e sua instituição como Estado Brasileiro, é comemorado dia 06 de agosto
Faltam 266 dias para o dia da Revolução Acreana, dia 6 de agosto 2020
Dia da Revolução Acre
Agosto
DoSeTeQuQuSe
26272829303101
02030405060708
09101112131415
16171819202122
23242526272829
30310102030405
06: Revolução Acreana 09: Dia dos Pais
Lua Cheia 03: Cheia  Quarto Minguante 11: Ming  Lua Nova 18: Nova  Quarto Crescente 25: Cresc 

Causas e Antecedentes para a Ocorrência do Dia da Revolução Acreana

A região do Acre possuía ricos depósitos de ouro e uma abundância de madeira, principalmente seringueiras. Desde o final do século XIX até meados do século XX, as seringueiras foram cruciais para a indústria automobilística e de transporte, uma vez que a borracha sintética para a fabricação de pneus e outros objetos só foi descoberta na Segunda Guerra Mundial. É por isso que a guerra é também referida como a Guerra do Borracha (Guerra del Caucho), pois um dos motivos que levou Jefferson José Torres, governador do Amazonas ao embate era uma taxa de exportação de borracha.

A fronteira entre o Brasil e a Bolívia foi delimitada pelo Tratado de Ayacucho. A província do Acre, um território de cerca de cinco vezes o tamanho da Bélgica, pertencia à Bolívia. Incorporado no coração da América do Sul, inicialmente o Acre despertou pouco interesse por sua inacessibilidade e aparente falta de valor comercial. Sua população era composta por um pequeno número de índios sem identidade nacional e um punhado de brasileiros e bolivianos.

De repente o Acre se tornou Interessante…

Quando o preço da borracha aumentou significativamente no final do século 19, cerca de 18.000 aventureiros e colonos, a maioria do Brasil, foram para o Acre para explorar as seringueiras. Praticamente não havia estradas para que os principais meios de transporte chegassem, o que fazia com que as pessoas acessassem o Estado por meio de alguns barcos a vapor, canoas e jangadas.

Daí surgiu a cobiça pela região do Acre e a eclosão da Revolução Acreana se tornou apenas uma questão de tempo.

Sobre o Dia da Revolução Acreana

Não foi em apenas um dia que se deu a disputa em que o Brasil saiu vencedor em relação ao Acre. Foram cerca de 4 anos de disputas entre os três países interessados na região, com muitas disputas internas e muitas vezes violentas. Um acordo era necessário, mas conseguir chegar a ele não era fácil, já que os interesses econômicos de cada Estado Soberano estava em jogo naquele momento.

O Tratado de Petrópolis

O instrumento que possuiu eficiência suficiente para colocar fim às disputas foi o Tratado de Petrópolis, ou Ayacucho Bolívia Tratado. Com ele foi celebrado um acordo entre Brasil e Bolívia, em que a Bolívia abriu mão do território do Acre e em contrapartida o Brasil cedeu uma parte do território do Mato Grosso e ainda pagou 2 milhões de libras esterlinas. Além disso, a Bolívia também exigiu do Brasil a construção da Ferrovia Madeira-Marmoré, que passaria a ser utilizada para o escoamento da produção.

O povo do Acre comemora o Dia da Revolução Acreana com enorme consciência cívica e amor ao Estado e à Pátria, pois reconhece que parte da sua história se escreveu com a contribuição dos bravos guerreiros que se empenharam na batalha pela autonomia do Acre em relação à Bolívia e sua consequente elevação à categoria de Unidade da Federação Brasileira.