Dia da Revolução Constitucionalista

No dia 09 de julho os paulistas relembram um fato histórico extremamente relevante para o Estado de São Paulo e também para todo o país: o Dia da Revolução Constitucionalista, que marcou o início de uma grande batalha contra o golpe que havia sido dado por Getúlio Vargas, que tomara a força o poder em 1930.

Ao comemorar essa data comemorativa os paulistas rememoram a luta de bravos guerreiros que decidiram se opor ao regime e lutar novamente pelo respeito à Constituição, que alegavam ter sido subjugada por Getúlio Vargas desde que assumira o poder. Daí o dia da Revolução Constitucionalista.

Para saber mais sobre o assunto, continue com a leitura desse artigo, pois todo o nosso trabalho foi desenvolvido especialmente para você!

Quantos dias faltam para o dia da Revolução Constitucionalista 2020?
hoje é .
O dia da Revolução Constitucionalista é comemorado dia 9 de julho.
Faltam 231 dias para o dia da Revolução Constitucionalista 2020
Dia da Revolução Constitucionalista
Julho
DoSeTeQuQuSe
28293001020304
05060708091011
12131415161718
19202122232425
26272829303101
02030405060708
09: Dia da Revolução Constitucionalista

O que foi a Revolução Constitucionalista?

A Revolução Constitucionalista, também conhecida como Guerra Paulista, foi o último conflito militar de larga escala travado em solo brasileiro, e durou de 9 de julho a 4 de outubro de 1932.

Colocou uma coalizão formada pelo estado de São Paulo, o pequeno estado de Maracajú (que se separou do estado do Mato Grosso e controlava o que hoje é o Mato Grosso do Sul) e a Frente Unida Gaúcha ( uma pequena facção dissidente do Rio Grande do Sul ) contra o Governo Provisório de Getúlio Vargas.

Foi uma atitude tempestuosa, mas de imenso significado para a sociedade brasileira e por isso se comemora o Dia da Revolução Constitucionalista com imenso respeito pátrio.

Os fatos da história

Depois de vários anos de crises, revoltas e tumultos políticos nos anos 20, a República Velha, que existiu de 1889 a 1930, tornou-se severamente enfraquecida e acabou sendo derrubada por uma coalizão armada formada pelos estados de Minas Gerais, Paraíba e Rio Grande do Sul.

Os estados de São Paulo e Minas Gerais, que até então mantiveram hegemonia sobre a política brasileira, tiveram um desentendimento sobre quem nomear como candidato presidencial para as eleições de 1930. Os paulistas romperam sua aliança com os mineiros endossando Júlio Prestes, o que levou os mineiros a apoiar a candidatura do então governador do Rio Grande do Sul, Getúlio Vargas, com o governador da Paraíba, João Pessoa, como seu companheiro de chapa.

Terminada a eleição, com a vitória de Prestes (após ampla fraude e violência dos dois lados), a oposição começou a tramar um golpe para impedir que ele tomasse posse. Houve alguma hesitação no início, mas o assassinato de João Pessoa em julho fortaleceu sua decisão de recorrer à revolução armada contra o presidente em exercício Washington Luís, desencadeando a Revolução Brasileira de 1930 em 3 de outubro, evento este que ascendeu Getúlio Vargas ao poder.

As contradições de Vargas e a instauração do Dia da Revolução Constitucionalista

Ao assumir o poder, Vargas fez diversas promessas aos seus apoiadores e não honrou com muitas delas, como por exemplo a convocação de eleições gerais para a Presidência da República e o respeito à autonomia dos estados. Isso causou insatisfação entre as pessoas, inclusive os seus apoiadores, que viram nisso um sinal de traição do Presidente. E por isso foi decidido que se faria uma revolução contra o modo de governo do Presidente, a quem os opositores acusavam de governar por meio de decretos. Veio então a Revolução Constitucionalista, que desencadeou uma verdadeira guerra entre o Governo Federal e o Estado de São Paulo, que foi bastante sacrificado nesse período, chegando ao ponto de muitos de seus fiéis guerreiros se renderem e voltarem a ser subservientes ao Governo Federal. No fim a derrota militar dos revolucionários foi inevitável, mas eles conseguiram algo que viria a ser motivo de muitas comemorações no decorrer de todos os anos, que foi a frustração dos planos políticos de Getúlio Vargas, pois este, enquanto se organizava para se defender e dar respostas aos rebeldes, freou seus planos e não teve tempo hábil para recolocá-los em prática antes da convocação de novas eleições, o que se tornou urgente no quadro atual em que a sociedade brasileira se encontrava.

O Dia da Revolução Constitucionalista é, portanto, um dia de muitas comemorações para toda a sociedade, pois o que aparentemente foi uma derrota serviu, naquele momento, para reequilibrar as forças políticas e fortalecer a democracia brasileira.