Categoria: Feriados Nacionais

Natal 25 de Dezembro

Dia de Natal

25 de Dezembro Dia de Natal

O Natal é uma das datas mais comemoradas pelas pessoas no Brasil e em todo o mundo por se tratar de uma das mais belas e atraentes datas comemorativas que conhecemos. A beleza e majestade desse dia é inspiradora para as pessoas que gostam de celebrar a vida e a cultura como forma de manifestação de seu carinho e sua fé.

As festividades são oriundas do exercício de fé das pessoas e por isso possui um caráter tão singular. Aqueles que creem em Cristo e nele veem a esperança de paz e redenção da humanidade encontram no Natal o reflexo de tudo aquilo que almejam. E mesmo os que não creem, mas se deixam inebriar pelo espírito natalino, encontram nesse dia a melhor e mais completa maneira de fazer o bem e festejar a vida e a paz entre os homens.

Trata-se de um feriado nacional em que se comemora o nascimento de Jesus Cristo, o Menino-Deus que, segundo a tradição cristã, veio ao mundo para remir e salvar a humanidade, que se encontrava em pecado, distante do seu Senhor. Portanto, essa é uma excelente data comemorativa para que as pessoas procurem dentro de si o que têm de melhor para aprender a se doar a todos os demais.

O Cristianismo e o Natal

Como a Cristianismo é a religião fundada sob as bases do ensinamento de Jesus Cristo, seria difícil imaginar as festividades natalinas sem a participação dos cristãos. Afinal, quem teria maior propriedade para essa festividade além dos que creem que Jesus é o Filho de Deus e que seu nascimento representa uma grande graça divina para a humanidade? Veja, portanto, que seria difícil pensar na festa sem os cristãos, que são os que realmente veem no dia 25 de dezembro o motivo de comemorar o nascimento do seu Senhor e Salvador.

Para os cristãos o Natal é, portanto, uma festa de enorme significado e que proporciona mais esperança de vida a todos os seres humanos.

Distinção entre o Natal e a Páscoa

Geralmente, ao nos referirmos ao Natal, imaginamos tratar-se da maior festa cristã celebrada pela humanidade. Mas não é bem assim. Embora o Natal seja de grande importância para a humanidade, a Páscoa ainda possui significado maior dado o gesto praticado. Na Páscoa comemora-se a obra da salvação propriamente dita, que foi a morte do Senhor numa cruz.

Portanto, no Natal celebramos o nascimento do Senhor e na Páscoa, a sua morte, que é a consumação da libertação do povo dos seus pecados e a restauração da vida da humanidade.

Instituição da Festa

Os cristãos sempre tiveram o costume de celebrar o Natal comemorando o nascimento de Jesus, mas na antiguidade isso era feito em dias diferentes todos os anos, pois não havia uma padronização da festa. Embora as comunidades cristãs tivessem o cuidado de fazê-lo corriqueiramente, elas não o faziam de maneira linear, dentro de um único calendário de celebrações.

Mas isso mudou no século IV, quando o Bispo de Roma definiu como data oficial das celebrações natalinas o dia 25 de Dezembro. Com isso o Natal passou a fazer parte do calendário litúrgico de celebrações, instituído como data oficial para celebração de todos os cristãos. Isso se concretizou também nas comemorações sociais, pois esse dia também passou a ser observado por toda a sociedade.

Essa data foi escolhida por se tratar do solstício de inverno na Europa, onde está localizada a Sé Apostólica, realidade vivida pelo Papa à época da instauração da festa. Esse é o dia em que o sol brilha por mais tempo durante o inverno europeu. A analogia que se faz é a do Cristo, o Sol da Justiça, que vem ao mundo para salvar aqueles que são seus.

As festividades seculares do Natal se iniciam já no mês de novembro, quando o comércio começa a se preparar para as vendas de final de ano. Já no sentido religioso a celebração propriamente dita se inicia já no final do dia 24 e continua por todo o dia 25 e mais sete dias depois, a chamada “Oitava do Natal”. Dada a importância dessa festividade, a Igreja tem o costume de estendê-la por vários dias para celebração dos fiéis.

Costumes da Época Natalina

No geral, quando chega o período do Natal, as pessoas costumam ficar mais felizes, solidárias e caridosas. Nessa época o ar das cidades costuma ficar melhor, com cidadãos um pouco mais atentos às necessidades do outro (não é uma regra, mas muitas pessoas entram nesse “espírito”).

Há o costume de se montar árvores natalinas, enfeitar a casa (e as cidades!) com decorações e luzes, ouvir músicas natalinas e mais uma porção de coisas que elevam o espírito para a magnitude dessa data tão mágica. Em muitos lugares, inclusive, são feitos concursos para premiar a residência melhor enfeitada para o Natal, o que faz a festa ficar ainda mais encantadora para todos nós.

Para aqueles que creem em Cristo o dia 25 de dezembro deve ser visto como uma oportunidade de se fazer ao menos semelhante ao Menino de Belém, que era “manso e humilde de coração”. E aos que não creem, desejamos que sejam envolvidos por essa magia e também exerçam a caridade e a fraternidade próprias dessa época do ano.

Proclamação da República

Proclamação da República

Dia 15 de Novembro Proclamação da República

Assim diz o glorioso hino da Proclamação da República:

Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz!

Tal letra mostra explica bem qual era o espírito que se apossara dos brasileiros quando estes decidiram lutar por sua República, deixando para trás todo o período de dominação imperial.

Um povo já sobrevivente de uma batalha por independência mais uma vez entra em luta, agora pelo direito de se tornar uma República, o que foi de fato o maior ato de separação em relação a Portugal, pois assim houve a efetiva libertação em relação à dominação portuguesa.

Conheça mais sobre essa história de lutas e conquistas e por que devemos celebrar essa data comemorativa com amor e sentimento cívico.

Temos grande felicidade em poder tratar de um tema tão importante para a sociedade brasileira e explaná-lo aqui, para que todos o compreendam com clareza.

Vamos ao assunto?

Sobre a Proclamação da República

A Proclamação da República foi um dos atos mais expressivos para o povo brasileiro, pois nesse dia nossa Pátria rompeu definitivamente com a Monarquia Constitucional Parlamentarista e instalou a República Brasileira, passando-nos desde então a um regime Presidencialista. Nós deixamos de permitir que uma família real fosse detentora dos poderes da nossa Pátria para então começarmos a eleger nosso governante e nossos representantes de acordo com suas propostas e não mais por ser essa a herança de uma dinastia. Foi a partir dessa conquista que mais tarde nos foi possível criar o nosso sistema de federação e organizá-lo de modo a chegarmos à mega estrutura de hoje, com os Poderes da União, Estados e Municípios bem definidos, com Executivo, Legislativo e Judiciário trabalhando de maneira independente e harmônica para o bem de toda a sociedade. E o mais importante: com o mandato dos governantes possuindo tempo para começar e terminar, permitindo que a população periodicamente tivesse a possibilidade de eleger novos governantes e representantes.

E foi em virtude disso que a família real foi deportada para Portugal e o Marechal Manuel Deodoro da Fonseca assumiu o governo interinamente no lugar de Dom Pedro II, tendo-o deposto de seu cargo ao amanhecer do dia.

Essa foi uma grande conquista de todo o povo, que já não estava mais satisfeito com o modo de governar da família real.

Os Fatos que Levaram à Proclamação da República

Houveram diversos fatores que juntos contribuíram para que a população brasileira deixasse de se curvar ao Império de Dom Pedro II e decidisse lutar pela sua libertação total, que viria por meio da destituição do Império e a instauração da República.

Para melhores esclarecimentos a respeito desse tema é importante dizer que a relação da família real com a população já estava ruim há muito tempo, mas foram os seus desentendimentos com a Igreja Católica, as Forças Armadas, os Grandes Proprietários e a Classe Média urbana que em última análise provocaram a queda do Império. De modo geral, grandes poderes do Império foram se mancomunando e conjurando contra o governo, de modo que era apenas questão de tempo para que tudo se consumasse.

Dadas diversas circunstâncias adversas, o Imperador perdeu a sua base de sustentação política e isso foi determinante para sua queda, pois com as forças da sociedade contra ele, a população também se voltou contra o seu poderio, o que ao final de tudo culminou com a derrocada do Império e os eventos que marcaram o que mais tarde se tornaria a data comemorativa em lembrança da Proclamação da República do Brasil.

Como as Coisas Aconteceram

Conforme vimos, as relações entre Monarquia e cidadãos brasileiros vinha estremecida há muito tempo e isso vinha provocando confrontos, especialmente devido à crise envolvendo os nobres e clérigos da sociedade que primeiramente fizeram oposição ao regime e articularam a sua queda.

Quando as coisas se tornaram insustentáveis, os militares enfim decidiram tomar uma atitude: tomar o governo à força, o que ficou conhecido como um golpe de Estado Político-Militar, já que as motivações para ele envolveram interesses políticos e militares. Isso se deu no dia 15 de Novembro de 1889, motivo pelo qual esse dia passou a ser lembrado anualmente como o Dia da Proclamação da República.

É claro que isso não se deu da noite para o dia, como num passe de mágica. Houve toda uma organização das Forças Armadas e dos poderosos que estavam posicionados contra o Império para encurralar o Imperador e destituí-lo de seu cargo definitivamente.

Fato curioso é que Deodoro da Fonseca sempre se mostrou crítico à teoria de queda do Império para a instauração da República, mas no fim terminou coordenando esse movimento, o que coloca em xeque o que realmente ele pretendia com isso. Há teorias de conspiração que dizem que ele foi seduzido por um plano de poder emplacando pelos clérigos e pelos nobres da sociedade. Mas essa é uma parte da história que induz a especulações, mas que não possui respostas objetivas.

Por questão de civismo e respeito à Pátria, devemos reconhecer o valor da Proclamação da República e comemorar esse dia de máxima importância para todo o nosso povo.

Se você tem consciência da importância desse dia e deseja comemorá-lo com profundo respeito, essa data é a mais apropriada para isso!